Invisível, David Levithan e Andrea Cremer



Então, essa foi a primeira vez em que li algo escrito por duas pessoas, e tenho que dizer, foi muito bom.
A história de Invisível, é contada por dois personagens, os quais são o Stephen - o invisível - e pela Elizabeth, o que torna as coisas interessantes pelos dois pontos de vista.
Desde seu nascimento, Stephen é invisível. Sempre observa o mundo ao seu redor, mas a vida dele sempre é a mesma, diferente de Elizabeth, que mudou para a Nova York por conta daquilo - como ela se refere no livro - que aconteceu com seu irmão.
Mas tudo muda quando Elizabeth derruba algumas sacolas na porta de seu apartamento - que é ao lado do de Stephen - e não consegue acreditar quando ele não faz uma menção para ajudá-la, revoltada, ela se dirige a ele, e chocado, o garoto percebe que ela consegue vê-lo.


A invisibilidade é uma maldição que o avô de Stephen - um conjurador de maldições, óbvio - lançou nele como forma de vingança sobre o que a mãe dele fez no passado - uma tremenda babaquice da parte do avô dele.
Achei muito fofo como o amor surge entre Stephen e Elizabeth, e a maneira como ele só cresce e chega ao ponto do 'irritantemente fofo', mas de uma maneira boa.
Tenho que admitir que demorei um pouco para ler, mas assim que terminei o livro, fiquei com uma sensação de 'quero mais'.


A capa é linda, com esse tom de verde água maravilhoso, e na parte de trás como podem ver na foto acima, tem um dos melhores parágrafos escritos no livro e que me fez pensar muito.
Então, acho que é isso não é?
Não estou lembrando de mais nada pra falar sobre esse livro, exceto que ele é maravilhoso, muito gostoso de se ler, e pra quem quiser uma leitura em um dia tedioso, é muito bom.

 
Espero que tenham gostado da resenha, se é que eu posso chamar desse jeito. Bye!

-S.C

Postagens mais visitadas deste blog

Recomendo: EXO - Universe - Winter Special Album

Recomendo: Goblin (도깨비)

retrospectiva